SDP8005 – O Campo da Saúde Coletiva: Histórico, Fundamentos, Configurações

EMENTA

O Conceito sociológico de campo; a noção de paradigma; Saúde Coletiva como projeto politico e institucional; As dimensões epistemológica e política da Saúde Coletiva; Saúde coletiva e Reforma sanitária Brasileira; Núcleos de conhecimento, espaços e formações discursivas do campo: Ciências Sociais e Humanas, Epidemiologia, Política e Planejamento. Tensões internas e externas ao campo; recursos para a inter e transdisciplinaridade; saúde coletiva e pensamento complexo; Fundamentos epistemológicos e práticos relacionados à metodologia da pesquisa em Saúde Coletiva; processo de trabalho e profissionalização no campo saúde coletiva; produção do conhecimento e avaliação da produtividade no campo: impasses atuais.

BIBLIOGRAFIA

Nunes ED. Saúde Coletiva: história recente, passado remoto. In: Campos GWS, Minayo MCS, Akerman M, Drumond Junior M, Carvalho YM. Tratado de saúde coletiva. 2ª ed. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2009.

oucault, M. O Nascimento da Medicina Social. In: Foucault, M. Microfísica do Poder (2ªed). Rio de Janeiro: Graal, 1981, p.79-99

Bourdieu P. O campo científico. In: ORTIZ R, Organizador. Pierre Bourdieu. São Paulo: Ática, 2003.

Paim, JS. A Reforma Sanitária Brasileira e a Saúde Coletiva: Concepções, posições e tomadas de posição de intelectuais. In: Vieira-da-Silva, LM. O Campo da Saúde Coletiva. Rio de Janeiro-Salvador: Hucitec-UFBa, 2018, p. 191-221.

Camargo Jr KR. Os caminhos da Saúde Coletiva. Physis 2008; 18(2):185-187 Lima NT, Santana JP. Saúde Coletiva como compromisso. A trajetória da ABRASCO. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz/ABRASCO, 2006.

Nunes ED. Saúde Coletiva: história recente, passado remoto. In: Campos GWS, Minayo MCS, Akerman M, Drumond Junior M, Carvalho YM. Tratado de saúde coletiva. 2ª ed. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2009.

BOSI, MLM; PRADO, S D. Alimentação e Nutrição em Saúde Coletiva: constituição, contornos e estatuto científico. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, p. 7-17, jan.  2011

ALVES, PC; RABELO, MC. O Status atual das Ciências Sociais em Saúde no Brasil. IN: ALVES, PC;RABELO, MC. (orgs). Antropologia da saúde: traçando identidade e explorando fronteiras [online]. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ; Rio de Janeiro: Editora Relume Dumará, 1998.

Loyola MAR. A saga das Ciências Sociais na área da Saúde Coletiva: elementos para reflexão Physis 2008; 18(2):251-275. IANNI, AMZ. et al. As Ciências Sociais e Humanas em Saúde na ABRASCO: a construção de um pensamento social em saúde. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 30(11):2298-2308, nov, 2014.

Minayo, MCS. A produção de conhecimentos na interface entre as ciências sociais e humanas e a saúde coletiva. Saude soc., 2013, 22(1):21-31.

VERAS, RP., et al., orgs. Epidemiologia: contextos e pluralidade [online]. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 1998. 172 p

BARATA, Rita Barradas. Epidemiologia social. Rev. bras. epidemiol., São Paulo, v. 8, n. 1, p. 7-17, Mar.  2005

AYRES, José Ricardo de Carvalho Mesquita. Desenvolvimento histórico-epistemológico da Epidemiologia e do conceito de risco. Cad. Saúde Pública,  Rio de Janeiro ,  v. 27, n. 7, p. 1301-1311,  Jul. 2011.

Czeresnia, D. Epidemiologia, Ciências Humanas e Sociais e a integração das ciências. Revista de Saúde Pública, 2008, 42(6):1112-1117.

ALMEIDA-FILHO, Naomar de; COUTINHO, Denise. Causalidade, contingência, complexidade: o futuro do conceito de risco. Physis,  Rio de Janeiro ,  v. 17, n. 1, p. 95-137, Apr.  2007

Paim JS, Teixeira CF. Política, planejamento e gestão em saúde: balanço do estado da arte. Rev Saude Publica 2006; 40(n. esp.):73-78.

BOSI, Maria Lúcia Magalhães. Pesquisa qualitativa em saúde coletiva: panorama e desafios. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro ,  v. 17, n. 3, p. 575-586,  Mar.  2012

Conceição, Maria Inês Gandolfo, Gastaldo, Denise, Fraga, Alex Branco, Bosi, Maria Lucia Magalhães, Magalhães, Lilian, Andrade, João Tadeu de, & Lago, Rozilaine Redi. (2020). Educando pesquisadores qualitativos em saúde no Brasil: perspectivas discentes e docentes. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 30(4), e300412. Epub December 14, 2020.

BOSI, M. L. Produtivismo e avaliação acadêmica na saúde coletiva brasileira: desafios para a pesquisa em ciências humanas e sociais. Cadernos de Saúde Pública , Rio de Janeiro, v. 28, n. 12, p. 2387-2392, 2012

BOURDIEU, P. Homo academicus. Florianópolis: Editora da UFSC, 2013

DESLANDES, Suely; MAKSUD, Ivia. Capitais científicos em saúde coletiva: proposta de análise inspirada nas fontes utilizadas na obra Homo academicus. Saude soc.,  São Paulo ,  v. 28, n. 3, p. 324-336,  Sept.  2019.

BOSI, Maria Lúcia Magalhães; PAIM, Jairnilson Silva. Graduação em Saúde Coletiva: limites e possibilidades como estratégia de formação profissional. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro ,  v. 15, n. 4, p. 2029-2038,  July  2010

BOSI, MLM; PAIM, JS. Graduação em Saúde Coletiva: Subsídios para um Debate necessário. Editorial. Cadernos de Saúde pública, Rio de Janeiro, 25(2):236-237, Fev, 2009.

LORENA, Allan Gomes de et al. Graduação em saúde coletiva no Brasil: onde estão atuando os egressos dessa formação? Saude soc., São Paulo,  v. 25, n. 2, p. 369-380,  June  2016 .

PAIM, JS; PINTO, ICM. Graduação em Saúde Coletiva: conquistas e passos para além do sanitarismo. Tempus – Actas de Saúde Coletiva. Vol.7(03), 2013.