Seminário de Pesquisa em Políticas Públicas de Saúde

A Coordenação do PPGSP convida, a todos os interessados, para o Seminário de Pesquisa em Políticas Públicas: o neoinstitucionalismo na análise política de saúde, com a convidada Dra. Carmem Emmanuely Leitão Araújo, Doutora em Ciência Política pela Universidade Federal de Minas Gerais. O evento ocorrerá no dia 23 de novembro às 08 horas, no Departamento de Saúde Comunitária da Faculdade de Medicina, situado na Rua Prof. Costa Mendes, 1608 – 5º andar.

Convite Defesa de Dissertação de Paula Negrão da Silva

A Coordenação do PPGSP convida, a todos os interessados, para a Defesa de Dissertação da mestranda Paula Negrão da Silva cujo projeto é intitulado “Fatores associados à prevalência de hipertensão arterial sistêmica na população penitenciária feminina do Brasil”, orientado pela Profa. Dra. Ligia Regina Franco Sansigolo Kerr que ocorrerá no dia 24 de novembro às 14 horas, na Sala de Videoconferência do NUTEDS, situado na Rua Prof. Costa Mendes, 1608 – Térreo.

Seminário Estratégia Saúde da Família em Fortaleza e a Nova Política Nacional de Atenção Básica

O Conselho Municipal de Saúde de Fortaleza, a partir do Grupo de Trabalho Estratégia Saúde da Família, convida a todos para participar do Seminário Estratégia Saúde da Família em Fortaleza e a Nova Política Nacional de Atenção Básica: Desafios Para o Próximo Período, organizado com o intuito de fomentar o debate acerca dos riscos ao andamento da Estratégia Saúde da Família de Fortaleza a partir da aprovação da nova Política Nacional de Atenção Básica.

O momento faz parte de amplo processo de mobilização junto ao Controle Social do Município, acumulando a partir de debates nos Conselhos Regionais, constituindo ponto de partida ao fortalecimento da rede de atores implicados com o direito à saúde e com o Sistema Único de Saúde enquanto projeto civilizatório, formulando estratégias para o fortalecimento da Estratégia Saúde da Família de Fortaleza.

Onde? Auditório Murilo Aguiar (Assembleia Legislativa do Estado do Ceará)
Quando? 21 de Novembro, 13 h

“Ai daqueles que pararem com sua capacidade de sonhar, de invejar sua coragem de anunciar e denunciar”. (Paulo Freire)

UFC se candidata à sede da próxima edição do Congresso Brasileiro de Epidemiologia

O Prof. Alberto Novaes Ramos Júnior, docente do Departamento de Saúde Comunitária da Universidade Federal do Ceará (DSC/UFC) apresentou a postulação da UFC como próxima sede, relembrando a tradição da epidemiologia produzida na região Nordeste e a necessidade de um olhar sobre as desigualdades regionais. A Comissão de Epidemiologia deliberou que a decisão será uma das discussões da primeira reunião de sua próxima composição, a ser realizada em novembro.

Convite Defesa de Dissertação de Ada Cristina Pontes Aguiar

A Coordenação do PPGSP convida, a todos os interessados, para a Defesa de Dissertação da mestranda Ada Cristina Pontes Aguiar cujo projeto é intitulado “Exposição aos agrotóxicos e efeitos crônicos sobre a saúde humana: uma “herança maldita” do agronegócio para a Chapada do Apodi (CE)? ”, orientado pela Profa. Dra. Raquel Maria Rigotto que ocorrerá no dia 09 de outubro às 14 horas, no Departamento de Saúde Comunitária, situado na Rua Prof. Costa Mendes, 1608 – 5º andar.

Aprovado novo Calendário Universitário; semestre 2018.1 começa em 22 de fevereiro

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) da Universidade Federal do Ceará aprovou, na tarde de segunda-feira (2), em reunião realizada na Reitoria, o Calendário Universitário para o ano de 2018. A relatoria da matéria ficou a cargo da pró-reitora adjunta de Graduação, Profª Simone de Sá Borges, que apresentou a proposta para apreciação e voto dos demais conselheiros. A sessão do CEPE foi presidida pelo reitor da UFC, Prof. Henry de Holanda Campos, e contou com representantes da Administração Superior e das demais unidades acadêmicas.

De acordo com o documento aprovado pelo Conselho, o início do semestre 2018.1 está previsto para 22 de fevereiro, após o ciclo de colações de grau em janeiro e o ingresso dos estudantes via Sistema de Seleção Unificada (SISU). Já o período letivo 2018.2 começará em 6 de agosto, simultaneamente, para graduação presencial e a distância, cursos de pós-graduação e Casas de Cultura Estrangeira.

Entre os destaques para o próximo ano estão as formaturas das primeiras turmas dos campi da UFC em Russas (2018.1) e em Crateús (2018.2). A solenidade de colação de grau em Russas está prevista para julho, enquanto a dos concluintes de Crateús deverá ocorrer em janeiro de 2019.

Segundo a Profª Simone de Sá Borges, o desafio do calendário é estabelecer uma base comum para o planejamento de toda a comunidade universitária, tanto para as atividades acadêmicas como pessoais, a exemplo das férias dos professores. “Na organização do calendário, sempre tomamos como base anos anteriores, claro, obedecendo às respectivas nuances de cada ano. O costume é fazer o calendário em agosto e setembro do ano anterior para o ano seguinte, com elaboração das datas principais de início e fim de semestre, contando período de matrícula curricular e institucional, ajuste de matrícula, demanda e oferta”, explica.

O Calendário Universitário de 2018 contempla todos os feriados religiosos e cívicos nacionais, bem como estaduais e municipais de Fortaleza, Sobral, Quixadá, Russas e Crateús. Também integram o calendário datas comemorativas das áreas de conhecimento representadas na UFC e eventos como congressos e semanas de cursos, promovidos pelas 17 unidades acadêmicas da instituição.

MAIS ASSUNTOS – Outros tópicos debatidos ao longo da reunião do CEPE incluíram as diretrizes de normalização de trabalhos acadêmicos (artigos, monografias, dissertações e teses), a partir da mediação da Biblioteca Universitária, bem como a regulamentação da licença-maternidade para alunas dos cursos de pós-graduação da UFC.

Fonte: Pró-Reitoria de Graduação – fone: 85 3366 9496

Em aula de campo, estudantes conhecem a realidade de conflitos ambientais em comunidades tradicionais do CE e RN

Nos dias 25 e 26 de setembro de 2017, estudantes da Universidade Federal do Ceará (UFC), da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e da Universidade Autônoma do México (UNAM) participaram de aula de campo nas comunidades do Cumbe (Aracati/CE) e Apodi (RN). A atividade fez parte das disciplinas de Conflitos Ambientais, Trabalho e Saúde e de Tópicos Avançados em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador, integrantes curriculares, respectivamente, do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente (PRODEMA) e do Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública da UFC.

Em sala de aula, os debates facilitados pela professora Dra. Raquel Rigotto, responsável pela disciplina, versaram sobre a incidência de conflitos socioambientais decorrentes de atividades econômicas e grandes empreendimentos associados ao neoextrativismo econômico brasileiro. Com base na noção de injustiça ambiental, foram discutidas as transformações territoriais que ocorrem a partir da chegada de grandes obras e empreendimentos econômicos e que atingem predominantemente comunidades de camponeses e pescadores tradicionais, indígenas, quilombolas e periferias urbanas. As consequências envolvem aspectos sociais, ambientais e impactos à saúde.

Na aula de campo, os estudantes conheceram locais que vivenciam conflitos ambientais no Ceará e no Rio Grande do Norte. No município de Aracati (CE), a comunidade de pescadores e pescadoras tradicionais do Cumbe há cerca de vinte anos é atingida pelos impactos da instalação e operação de empresas de carcinicultura e, mais recentemente, de parques eólicos. Já no município de Apodi (RN), comunidades camponesas são ameaçadas pela chegada de perímetros irrigados e de grandes empresas do agronegócio na região da Chapada do Apodi.  As consequências incluem destruição e contaminação química de rios e do solo por substâncias utilizadas no cultivo de camarões e dos agrotóxicos; a restrição aos pescadores do acesso à praia e lagoas; além de uma série de doenças causadas pelo contato humano com agrotóxicos e outras substâncias químicas, como o câncer.

Além dos alunos da disciplina, o momento de campo também contou com a participação de visitantes de Minas Gerais, São Paulo, Espanha e Alemanha. No Cumbe, o grupo visitou as áreas de carcinicultura e dos parques eólicos, e participou de uma roda de conversa com a Associação Quilombola do Cumbe. Em Apodi, conheceu o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTR-Apodi) e experiências de agroecologia e agricultura familiar da região. Além disso, os estudantes visitaram a obra interrompida de barramento e desvio da água do Rio Apodi para abastecer as empresas do agronegócio, que causou danos irreversíveis aos cursos d’água e à biodiversidade natural local, e afetou a segurança hídrica de comunidades próximas.

Nesse contexto, as comunidades camponesas e pescadoras elaboram enfrentamentos e resistências aos impactos desses grandes projetos de desenvolvimento adotados no país, organizadas em associações comunitárias e articuladas com movimentos sociais, organizações não-governamentais, órgãos públicos e pesquisadores acadêmicos.