[:pb]Semana de Saúde Coletiva resgata Movimento Sanitarista da UFC e homenageia grandes nomes[:]

[:pb]

27 de novembro de 2019

O primeiro dia da Semana de Saúde Coletiva foi marcado pelo resgate histórico dos primórdios do Movimento Sanitarista da UFC e por homenagens a grandes nomes.

As atividades foram iniciadas pela manhã. Na abertura, o Prof. Roberto da Justa, Chefe do Departamento de Saúde Comunitária, destacou a importância da primeira edição da Semana de Saúde Coletiva. Pontuou a necessidade de se resgatar todas as etapas do Movimento Sanitarista da UFC, desde a criação do Instituto de Medicina Preventiva – IMEP até os dias de hoje. Ressaltou brevemente o legado de conquistas e inovações que pessoas e ações construíram e continuam construindo para a saúde pública do Ceará e do país, com grandes contribuições para a Reforma Sanitária, a construção do SUS e a formação de recursos humanos. Por fim, destacou a necessidade de defesa desse legado diante do cenário político atual marcado por ataques e ações de desestruturação do SUS e enfraquecimento das Universidades Públicas.

Prof. Alberto Novaes, Coordenador do Programa de Pós-graduação em Saúde Pública, por sua vez, destacou a ousadia da criação deste PPG há 25 anos e relatou brevemente o crescimento quantitativo e qualitativo da pesquisa e produção de conhecimento no campo da Saúde Coletiva. Ressaltou que a produção em Saúde Coletiva na UFC vem ganhando cada vez mais visibilidade e destaque nacional. Um dos desdobramentos deste crescimento foi a escolha de Fortaleza para sediar em novembro de 2020 o Congresso Brasileiro de Epidemiologia.

Na sequência, na primeira mesa de debates, sob a coordenação da Profa. Mônica Façanha, os professores José Policarpo, Zilmar Fontenele e Henry Campos descreveram em detalhes o contexto socioeconômico, político e científico em que foi criado o IMEP, seu funcionamento, suas ações, projetos e inovações, com destaque para a liderança do saudoso Prof. Joaquim Eduardo de Alencar. A Profa. Zilmar Fontenele, que vivenciou pessoalmente todas as fases do IMEP, desde sua criação (1959) até sua extinção (1969), surpreendeu a todos pela riqueza de detalhes de seus relatos.

O final da manhã foi marcado pela emoção das homenagens aos Professores Joaquim Eduardo de Alencar e Maria Auxiliadora de Souza, ambos já falecidos. Com a presença de familiares foram feitas as devidas homenagens, leituras das biografias, entregas de certificados simbólicos, oficialização da nominação do Auditório (Prof. Joaquim Eduardo de Alencar) e inauguração e nominação da Biblioteca de Saúde Coletiva (Profa. Maria Auxiliadora de Souza) do Departamento de Saúde Comunitária.

À tarde, a jornada teve continuidade com o resgate dos períodos referentes ao antigo Departamento de Higiene e Medicina Preventiva, o Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva (NESC) e o antigo e o atual Departamento de Saúde Comunitária. As atividades foram coordenadas pelos Professores Luciano Correia, Ursino Neto e Socorro Sousa. As falas da Profa. Vaudelice Mota, do Prof. Sulivan Mota, do Prof. Adalberto Barreto, do Prof. Ricardo Pontes, da Profa. Lígia Kerr e do Prof. Marco Túlio foram muito marcantes e ricas em detalhes. O momento mais marcante da tarde foi a homenagem feita à Profa. Zélia Rouquayrol, pioneira do Movimento Sanitarista da UFC e referência em Epidemiologia para gerações de médicos, sanitaristas e demais profissionais de saúde. Após ser agraciada com palavras proferidas pela Profa. Mônica Façanha, Profa. Zélia Rouquayrol emocionou a todos ao agradecer e dizer que aprendeu mais que ensinou com seus alunos.

A Semana de Saúde Coletiva segue sua programação nos dias 28 e 29 com mais debates sobre o Movimento Sanitarista da UFC.

[:]

Deixe uma resposta