Áreas de Concentração

O Doutorado em Saúde Pública constitui-se de duas áreas de concentração: Epidemiologia e Vigilância em Saúde e, Avaliação em Saúde, cada uma composta por duas linhas de pesquisa.

Epidemiologia e Vigilância em Saúde

Linha de Pesquisa: Epidemiologia e Vigilância de Doenças Transmissíveis

Compreende pesquisas epidemiológicas com foco em processos saúde-doença relacionadas a condições transmissíveis, e seus determinantes/condicionantes no Brasil. Inclui a abordagem de doenças tropicais ou negligenciadas como processos sociais de interesse para a saúde coletiva, incorporando análises relativas a riscos e vulnerabilidades, com abordagem de iniquidades e desigualdades em saúde. Insere pesquisas relativas ao impacto das ações e intervenções individuais ou coletivas de vigilância em saúde voltadas à prevenção e controle destas doenças. Os estudos têm foco nas doenças infecciosas e parasitárias, sua epidemiologia, dinâmica de transmissão, prevenção e controle.

Linha de Pesquisa: Epidemiologia e Vigilância de Doenças/Agravos Não Transmissíveis

Desenvolve estudos das condições/doenças/agravos não infecciosos de relevância no âmbito da Saúde Pública, sua epidemiologia, inter-relação com outras áreas da saúde e núcleos disciplinares da Saúde Coletiva, além de prevenção e controle de doenças. Compreende pesquisas epidemiológicas com foco em processos saúde-doença relacionadas a condições não transmissíveis e seus determinantes/condicionantes que se expressam no decorrer da vida. Insere pesquisas relativas ao impacto das ações e intervenções individuais ou coletivas de vigilância em saúde voltadas à prevenção e controle destas doenças/agravos. Também se destaca pelos estudos sobre as condições de vida desde o período perinatal, no nascimento, no crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes, bem como na saúde de mulheres, como processos sociais de interesse para a saúde coletiva. Destaca-se pelos estudos relacionados à epidemiologia e prevenção de doenças cardiovasculares, Saúde da mulher, Epidemiologia da saúde mental da criança e do adolescente, Sofrimento psíquico, Epidemiologia do envelhecimento; Epidemiologia das violências: Conjuntura da morbimortalidade por causas externas envolvendo suicídios, homicídios e outras formas de violência contra crianças, jovens, mulheres e idosos; Saúde reprodutiva; Acidentes de trânsito e violências, Epidemiologia do diabetes mellitus e de doenças cardiometabólicas; e Epidemiologia do sobrepeso e obesidade materno-infantil.

Avaliação em Saúde

Linha de Pesquisa: Avaliação de Políticas e Tecnologias em Saúde

Compreende pesquisas avaliativas referentes às políticas, gestão, práticas de atenção e tecnologias em saúde, e seus impactos, em diferentes cenários de sistemas de saúde, estabelecendo articulações entre os contextos nacionais, regionais e locais. Integra métodos e técnicas das ciências sociais e humanas bem como da epidemiologia, em perspectiva interdisciplinar e transdisciplinar, na abordagem de políticas sociais, ambientais e de saúde. As temáticas centrais da linha são: Gestão da saúde e organização do SUS; Avaliação de programas de vigilância e controle, serviços e modelos assistenciais de Saúde, Gestão do trabalho e da educação em saúde; Avaliação de modelos de formação e integração ensino-serviço, Territorialização em saúde e relações com trabalho e ambiente na Atenção Primária, Conflitos Socioambientais e Saúde no Nordeste, Produção Agrícola, Ambiente e Saúde: agronegócio, agricultura familiar e assentamentos; Avaliação qualitativa de programas e serviços de saúde na atenção às crianças de 0 a 5 anos, Formulação e avaliação de intervenções nutricionais na infância, e Aspectos culturais da nutrição infantil.

Linha de Pesquisa: Avaliação Qualitativa de Serviços e Programas

Compreende pesquisas avaliativas referentes à gestão, organização, práticas e desempenho de serviços e programas de saúde, em diferentes cenários de sistemas de saúde, estabelecendo articulações entre os contextos nacionais, regionais e locais. Engloba perspectivas relativas à subjetividade, à cultura e à dimensão simbólica, em uma perspectiva interdisciplinar e transdisciplinar. Integra métodos e técnicas das ciências sociais e humanas em diálogo de complementaridade com a tradição do método epidemiológico, sob diversas perspectivas epistemológicas. Recentemente, a linha se destaca em projetos relacionados à Pesquisa qualitativa e avaliação em saúde mental; Avaliação qualitativa de programas e serviços em saúde; Pesquisa qualitativa em oncologia; Alimentação, corpo e subjetividade, Espiritualidade e saúde. Pretende-se com essa linha solidificar as bases epistemológicas da pesquisa em saúde, possibilitando ao doutorando oportunidades de estudo dos fundamentos teórico-metodológicos do enfoque qualitativo (qualitative approach) percorrendo temas como: intersubjetividade; presença criativa do pesquisador; reflexividade e posicionalidade; amostragem e transferabilidade; escrita no enfoque qualitativo; triangulação em seus diferentes níveis e modalidades; elaboração de projetos de pesquisa contrastando os paradigmas positivista e interpretativo. Também são aprofundadas as técnicas de análise material discursivo (textos, imagens e outras formas de representação), numa perspectiva crítica, articulando a produção subjetiva com a materialidade a que se vincula. Em síntese, almeja-se formar pesquisadores competentes nos planos ontológico, epistemológico, metodológico e aptos a operacionalizar distintos procedimentos e técnicas de pesquisa, em cenários específicos, observando a congruência onto-epistemológica como critério de rigor e qualidade no enfoque qualitativo.